Apesar de ainda não termos vacinas comprovadamente eficazes contra o novo coronavírus, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) já está formulando um plano de contingência para quando essas doses ficarem prontas e puderem ser distribuídas à população. No entanto, a expectativa é que essa imunização só ocorra no início do ano que vem.

Ainda de acordo com ela, o objetivo é, nesse primeiro momento, focar na pré-campanha, para preparar o Estado. Só depois que a vacina ficar pronta, a campanha em si será formulada. “Vários processos de compras já estão em andamento, principalmente relacionados a siringas e agulhas, porque a gente corre o risco de ter essa falta no mercado. Na fase de campanha, nós vamos ter que readequar esse plano, porque depende da vacina que vier e os grupos que forem prioritários”, explicou.

Conforme o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, como esse é um momento atípico, por causa da pandemia, o planejamento é muito importante. “Estamos lançando o plano nesta semana. O objetivo é orientar municípios para a possibilidade de uma vacina e, quando ela chegar, termos condições de fornecer insumos, distribuí-la adequadamente e, inclusive, fazer acompanhamentos após a aplicação”, detalhou.

O cronograma previsto é de que o Butantan entregue 45 milhões de doses da CoronaVac ao Sistema Único de Saúde (SUS) em dezembro deste ano, 60 milhões até março e 100 milhões em maio de 2021.

Shark News by Shark Themes