“A cada três anos, temos um pico de casos de dengue”, explica o secretário da SES, Fábio Baccheretti

A alta incidência de casos de dengue em 17 municípios no Sul de Minas acende sinal de alerta na Superintendência Regional de Saúde (SRS), em Passos, que terá força tarefa para frear o aumento de casos na região.

A Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES) informa que enviou equipe com técnicos, motoristas, veículos e equipamentos para fazer a aplicação do inseticida nas áreas afetadas, dentre outras ações. O objetivo, segundo a Secretaria, é reforçar o trabalho de campo das equipes municipais no combate ao mosquito e conscientizar a população sobre cuidados para combater e evitar a dengue.

A SRS Passos mobilizou prefeitos, gestores de saúde e profissionais de epidemiologia para discutir e alinhar um conjunto de ações para reduzir os riscos de um aumento de casos de dengue na região. O índice de infestação do mosquito é crescente nos municípios, entre eles os de Passos e São Sebastião do Paraíso, que têm as maiores populações da região.

“A cada três anos, temos um pico de casos de dengue”, explica o secretário da SES, Fábio Baccheretti, “foi assim em 2013, 2016 e 2019 e estamos em 2022. Geralmente, o aumento ocorre em março e abril. Como estamos em maio e tivemos um pequeno crescimento, não acredito que isso vá se prolongar”.

Equipes da secretaria serão enviadas para realizar força-tarefa em regiões de maior incidência da doença. As ações envolvem visitas domiciliares para o controle e redução do vetor, além de conscientização e mobilização da população. “Todo mundo sabe como evitar a dengue, em ações como cuidar da limpeza da casa, não deixar água parada, tampar caixas de água”, reforça o gestor.

Cenário epidemiológico 

Na área da SRS Passos, formada por 27 municípios, foram registrados mais de 3,8 mil casos prováveis de dengue nas últimas quatro semanas epidemiológicas, com alta ou muita alta incidência em 17 deles. Só em abril, houve 57 internações, das quais oito foram por dengue hemorrágica.

“O cenário epidemiológico atual da dengue na SRS Passos caracteriza-se pela ampla distribuição de casos prováveis nos dois municípios – Passos e São Sebastião do Paraíso -, atingindo incidência muito alta nas últimas quatro semanas epidemiológicas”, avalia a referência técnica em arboviroses e coordenadora adjunta do Comitê Regional de Enfrentamento das Arboviroses (Crea), Patrícia Mendes Costa.

Ainda segundo a coordenadora, apesar dos esforços de prevenção, houve um aumento de registros e procura pelos serviços de saúde. Para a referência técnica, algumas ações são potencialmente capazes de produzir mudanças efetivas no cenário atual, como o controle vetorial, mutirões de limpeza, intensificação das ações de mobilização social, capacitação das equipes de saúde e organização da rede assistencial para que o paciente seja assistido conforme os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, reduzindo assim o agravamento dos casos e a ocorrência de óbitos.
Via Itatiaia

Comente com sua conta do Facebook