A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu inquérito policial que investigou as causas da morte de um menor com 12 anos.

As investigações tiveram início através do registro do boletim de ocorrência, no qual a mãe da vítima afirma que retornou do trabalho e encontrou seu filho sem vida no banheiro da própria residência.

Durante as investigações foram realizadas perícias, juntados documentos, efetuadas diligências e ouvidas testemunhas, as quais auxiliaram a entender a dinâmica dos fatos.

A suspeita confessa que obteve um medicamento de uso restrito de forma irregular e o deixou ao alcance do menor. Esclarece que a criança teve acesso ao medicamento e o ingeriu grande quantidade, tendo que ser levada ao hospital. Confirma impediu a internação e o tratamento da vítima, mesmo contrariando a recomendação médica. Aduz que no dia dos fatos, deixou seus três filhos menores de idade sozinhos em casa e a vítima praticou o autoextermínio.

Profissionais da saúde e documentos médicos consignaram que o medicamento ingerido pela criança influi na atividade neurológica e provoca o induzimento ao suicídio.

Ficou documentado que a genitora tinha ciência dos efeitos colaterais, ignorou a recomendação médica, interrompeu o tratamento e que tais circunstâncias podem ter contribuído para que a criança praticasse o ato.

Os elementos de informação permitiram concluir que a genitora agiu com negligência e imprudência em diversos momentos importantes e contribui decisivamente para a produção do resultado

O inquérito foi remetido à Justiça, com o devido indiciamento da mãe. As investigações foram conduzidas pela Polícia Civil em Carmo do Rio Claro.

Via Polícia Civil

Shark News by Shark Themes